18 de dezembro de 2011

As digitais do Criador


“A pouca ciência afasta o homem de Deus, mas a muita ciência aproxima de Deus.” 
[Louis Pasteur]



Tenho visto que atualmente tem-se expandido o movimento neo-ateísta. Proponho, através dessa postagem, uma pequena parte das digitais de Deus presentes em nossa realidade. Vamos um pouco além de perguntas básicas como quem sou? De onde vim? Para onde vou? Perguntas que, diga-se de passagem, o ceticismo não tem condições de responder.


Anteriormente, vimos aqui no blog duas postagens demonstrando a Bíblia como a Palavra de Deus. Se você não viu, clique aqui e aqui.


Não seria de se espantar que algumas evidências trouxessem necessariamente o Criador como a resposta fundamental. Eis algumas:


1. A perfeita condição do Universo para a existência de vida
O apologista cristão William Lane Craig, Ph.D em Filosofia e Teologia pelas universidades de Birmingham e Munique respectivamente, em um debate contra o Dr. Peter Atkins diz o seguinte:
"Durante os ultimos 30 anos, os cientistas tem descoberto que a existência de vida inteligente depende de um complexo equilibrio das condições iniciais do próprio Big Bang. Nós agora sabemos que universos sem vida são vastamente mais prováveis do que qualquer universo com vida como o nosso. 
Por exemplo, Stephen Hawking estimou que, se a taxa de expansão do Universo, fosse menor em apenas uma parte em 100 mil milhões de milhões, o Universo colapsaria de novo em uma bola de fogo.
Brendan Carter calculou que as chances contra as condições iniciais serem adequadas para a posterior formações de estrelas, sem as quais os planetas não podem existir é de 1 seguido por mil bilhões de bilhões de zeros, pelo menos.
P.C.W. Davies estima que uma mudança na força da gravidade ou na força fraca em apenas uma parte de 1 na centésima potência teria impedido um universo com vida. 
Há cerca de 50 quantidades e constantes como essas presentes no Big Bang que precisam ser finamente sintonizadas dessa forma para haver vida no Universo. Então improbabilidade é multiplicada por improbabilidade é por improbabilidade até nossas mentes ficarem atordoadas por números incompreensíveis. Não há nenhuma razão física para esses constantes e quantidades possuírem esses valores."
Não existe uma explicação plausível para esses argumentos, além da existência de um Criador.

2. Predições Bíblicas
2.1. Correntes Marítimas: "As aves dos céus, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares." [Sl 8:8]

O que o salmista quis dizer ao escrever "veredas dos mares"? Simplesmente estava predizendo a existência de caminhos nos oceanos. As correntes marítimas foram descobertas somente em meados de 1850 por Matthew Maury. Conta-se que, por estar escrito na Bíblia, o pesquisador quis descobri-los. E descobriu, constatando assim, mais uma vez, a veracidade bíblica.

2.2. As estrelas são incontáveis: "Como não se pode contar o exército dos céus [...]" [Jr 33:22]

Jeremias provavelmente escreveu seu livro aproximadamente no século VI a.C. Como ele descobriu que as estrelas são incontáveis? Ao longo da história, vemos astrônomos fixando estimativas para o número de estrelas. Ptolomeu, por exemplo, apontou 1056. Tycho Brahe, 777. Kepler contou 1005. Atualmente esse número tem se multiplicado e o fim nem remotamente está a vista. Estima-se que somente em nossa galáxia existam 100 bilhões de estrelas. Vários astrônomos tiveram que concordar com Jeremias: humanamente é impossível contá-las.

2.3. A Terra é redonda: "E ele o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; [...]" [Is 40:22]

Uma questão polêmica na Idade Média. Denominado como o profeta messiânico devido a maioria de suas profecias dizerem respeito ao messias, Isaías escreveu esta afirmação por volta do século VIII a.C. É importante ressaltar que não haviam instrumentos astronômicos na época. Somente no século X d.C., o persa Al-Biruni, "descobriu" de fato a esfericidade da Terra.

2.4. Ciclo hidrológico: "Todos os ribeiros vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios correm, para ali continuam a correr." [Ec 1:7]

Algo impossível de se saber na época de Salomão (o autor do livro de Eclesiastes), segundo Grant R. Jeffrey. Como ele sabia que TODOS os rios correm para o mar? Acho que o ceticismo não responde essa.

2.5 Diversas outras predições:
Há ainda muitas outras predições bíblicas com relação a natureza que não descreverei detalhadamente aqui para não me alongar demais: A expansão do universo [Is 40:22]; A gravidade do mar [Jó 38:8-11]; A Terra flutua no espaço [Jó 26:7]; As estrelas são singulares [I Co 15:41]; A luz se move [Jó 38:25]; O ar tem peso [Jó 28:25]; O vento pode soprar em ciclones [Ec 1:6]; O sangue é a fonte de vida e saúde [Lv 17:11]; O oceano tem nascentes [Jó 38:16], vales e montanhas [Jn 2:6]; A assepsia auxilia no controle de doenças [Lv 15:13].

Todas essas informações só poderiam ser obtidas por uma revelação direta de Deus.

3. A Arqueologia
Pela arqueologia, vários estudiosos têm comprovado a autenticidade bíblica. Esqueletos de peixes e fósseis de algas já foram encontrados em grandes altitudes. Um barco do tamanho descrito em Gênesis foi encontrado no topo do monte Ararate, na Turquia. Outros manuscritos paralelos à Bíblia, confirmam a autenticidade da mesma, como é o caso do Manuscrito de Ipuwer que relata, pela ótica egípcia, as pragas do Egito descritas em êxodo por Moisés. 


Isso tudo tem levado vários estudiosos a confessar realmente a fidelidade da Bíblia na apresentação dos fatos.

E, um dos fatos arqueológicos mais impressionantes é que, segundo cientistas, o homem seria o ultimo a "aparecer" na natureza. Não seria coincidência demais pensar que o mesmo também ocorre na criação? Em Gênesis 1 vemos Deus criando todas as coisas... e o homem sendo criado por último, tal qual a arqueologia aponta! 


4. A ordem e a desordem
Por experiência, unanimemente sabemos que tudo é tendencioso à desordem. Por exemplo, qualquer móvel abandonado, necessariamente caminha para a sua própria degradação ao longo do tempo. Por que o Big Bang afirma que formou-se tudo a partir da explosão de uma molécula abandonada a própria sorte? E Quando uma explosão deixou de destruir e passou a criar? Seria meio irracional pensar dessa forma.


Concluo a postagem com uma reflexão: realmente é necessário mais fé para ser cético do que para ser crente.


Leandro Duarte

Fontes:
100 respostas Bíblicas para Ciência e fé;
Transcrição do debate traduzido pelo blog Deus em Debate

2 comentários:


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...